Blog Moçambicano de Nutrição, segurança alimentar, segurança dos alimentos, saúde e temas relacionados
Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
23
24
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
3 comentários
3 comentários
2 comentários
1 comentário
1 comentário
1 comentário
26
Mai
14

 

A USAID lançou recentemente a sua  estrategia multi-sectorial para a Nutrição. è um documento interessantissimo e reforça a necessidade de investimento na nutrição, em especial na prevenção da desnutrição.

 

Podem ler o documento na integra em:

 

http://www.usaid.gov/sites/default/files/documents/1867/USAID_Nutrition_Strategy_5-09_508.pdf

 

 

 

 

USAID’s Multi-Sectoral Nutrition Strategy. Photo of a woman holding a baby.

A Shared Strategy for Nutrition

Ensuring every child has the potential for a healthy and productive life

Today, the U.S. Agency for International Development (USAID) launched the 2014–2025 Multi-Sectoral Nutrition Strategy. This strategy is the first of its kind at the Agency and builds upon President Obama’s commitment to create a world where every child has the potential for a healthy and productive life.

In the strategy, USAID prioritizes the prevention of malnutrition given the irreversible consequences of chronic undernutrition early in life; establishes very clear targets for how America’s investment in nutrition will reduce stunting; and recommends ways the United States can advance global food security and build resilience for millions of people. With it, USAID commits to working across priorities to ensure that safe and nutritious foods are accessible, healthy dietary practices are followed, and the prevention and treatment of infectious diseases are prioritized.

sinto-me:
publicado por comerviver às 11:39
25
Mai
14

 

publicado por comerviver às 19:00
publicado por comerviver às 18:00
22
Mai
14
publicado por comerviver às 18:53
21
Mai
14

Eu sou fã da Mafalda, e adoro toda  anologia que revolve a volta da sopa!

 

 

sinto-me:
tags: ,
publicado por comerviver às 19:30

 

publicado por comerviver às 16:30
20
Mai
14
publicado por comerviver às 19:04

 

publicado por comerviver às 18:08

Sabia que quatro grilos têm a mesma quantidade de cálcio que um copo de leite. Os grilos têm 15% mais ferro que espinafres e a mesma quantidade de  vitamina B12 que o salmão. Cem gramas de escaravelho (dung beetle) têm o dobro da proteína de 100 gramas de carne de vaca. Cem gramas de grilo têm mais do dobro de ferro do que 100 gramas de carne de vaca???

 

É obvio que quando em 2050 a população mundial atingir os nove mil milhões de habitantes previstos, é bastante provável que a solução alimentar não possa ser a mesma dos dias de hoje e que os dois biliões de pessoas que actualmente incluem insectos na sua dieta alimentar tradicional façam já parte de um grupo maior, este assunto mereceu em 2013 a atenção da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), que emitiu um relatório onde defendia a utilização de insectos na alimentação humana — com vantagens para a saúde, mas também para o ambiente e economia — e dava esta proteína como uma possível solução para a fome no mundo.

 

 Segundo a FAO, há registo do consumo de mais de 1.900 espécies de insectos, os mais consumidos dos quais são escaravelhos (31%), lagartas (18%), abelhas, vespas e formigas (14%). Gafanhotos, cigarras, térmitas, libelinhas e moscas são outras espécies consumidas.

                                                                                     Risk Analysis for Movements of Live Aquatic Animals

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estes animais são ainda apontados como um remédio para a insegurança alimentar, já que são nutritivos, têm altos níveis de proteínas, gordura e minerais, e um baixo risco de transmitirem doenças de origem animal, como a gripe das aves ou a doença das vacas loucas, pode ler-se no relatório “Insectos Comestíveis: Perspectivas Futuras para a Segurança Alimentar.

sinto-me:
publicado por comerviver às 16:14
08
Mai
14

 

Bonecas "vudu" e testes da agressividade conjugal em laboratório fazem cientistas concluir que, se formos ter uma conversa que se afigura difícil com a nossa cara metade, talvez convenha comer qualquer coisa primeiro.

 

Um estudo realizado por psicólogos nos EUA sugere, pela primeira vez, que os baixos níveis de açúcar (mais precisamente de glucose) no organismo podem fazer aumentar a agressividade entre cônjuges e levá-los mesmo a agir em consequência. Os resultados foram publicados online esta segunda-feira ao fim da tarde na revista Proceedings of the National Academy of Sciences(PNAS).

“Descobrimos que o facto uma pessoa estar irritada por causa da fome pode afectar negativamente o seu comportamento, mesmo nas relações mais íntimas”, diz o co-autor Brad Bushman, da Universidade Estadual de Ohio, em comunicado da sua universidade. E faz notar que até existe uma palavra, em calão norte-americano – “hangry” –, que é precisamente uma combinação de “angry” (“zangado”), e “hungry” (“com fome”). “Toda a gente sabe que quando temos fome, ficamos irritáveis”, acrescenta o cientista.

estudo, que demorou três anos a completar, envolveu 107 casais casados e testou a correlação entre os níveis de açúcar presentes no organismo de cada um (glicemia) e a agressividade conjugal, tanto em condições reais, em casa, como no laboratório.

A experiência em condições reais recorreu a um método no mínimo invulgar, desenvolvido por Nathan DeWall, co-autor da Universidade de Kentucky, e que envolvia… uma espécie de bonecas vudu.

 

 

 

...........

“Os nossos resultados” concluem os autores, “sugerem que intervenções concebidas para fornecer energia metabólica às pessoas poderiam promover relações conjugais mais harmoniosas. (…) Este tipo de intervenções também poderia ser especialmente importante em ambientes stressantes que propiciam as agressões, tais como prisões, hospitais psiquiátricos e escolas.”

Os cientistas frisam ainda que, no futuro, seria interessante explorar se os efeitos sobre a agressividade das flutuações dos níveis de glucose ao longo do dia não serão ainda mais pronunciados nas populações cuja glicemia pode apresentar valores particularmente baixos, tais como as pessoas que fazem dieta e os doentes com diabetes.

“Um conselho simples mas que resulta”, propõe ainda Bushman no já referido comunicado: “Antes de ter uma conversa difícil com o seu cônjuge, assegure-se de que não tem fome.

Mas quer isto dizer que as pessoas vão ter de passar a comer mais doces e beber mais refrigerantes, ao contrário do que os especialistas de saúde aconselham?, perguntámos a Bushman. Afinal de contas, a maneira mais rápida de aumentar os níveis de glucose é comer açúcar… Mais: poderia a indústria alimentar aproveitar este tipo de resultados para promover alimentos pouco saudáveis?

“Espero bem que não”, responde-nos o cientista. “E de qualquer maneira, os níveis de glucose tornam a cair rapidamente depois da ingestão de guloseimas. É melhor comer vegetais.”

 

Para ler o artigo na totalidade va a http://www.publico.pt/ciencia/noticia/baixos-niveis-de-glucose-podem-ser-uma-causa-de-violencia-domestica-1632238?page=-1

 

 

 

 

sinto-me:
tags:
publicado por comerviver às 09:13
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
HAHAH MUITO ENGRAÇADO !!
ahahah que bacana !!
Bem interressante
Muy bueno tu blog y estoy siguiendo su cargo por u...
me encanta el post!
Olá :)Este post está em destaque no novo espaço "C...
Olá :)Este post está em destaque no novo espaço "C...
Que bom ver o Comer Viver de 'volta à vida' (saudá...
blogs SAPO