Blog Moçambicano de Nutrição, segurança alimentar, segurança dos alimentos, saúde e temas relacionados
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
3 comentários
3 comentários
3 comentários
1 comentário
1 comentário
1 comentário
28
Mar
12

A dieta mediterrânica foi declarada a 16 de Novembro de 2012,  Património Imaterial da Humanidade,  durante a reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO. De acordo com o comité, «a dieta mediterrânica não compreende apenas a  alimentação, já que é um elemento cultural que propicia a interacção cultural».

 

 

 

Uma dieta repleta de cor, aromas e sabor, aproveitando tudo da natureza no seu esplendor.

 

Reconhecida como uma das dietas alimentares mais saudáveis de todo o mundo, a  dieta mediterrânica assenta numa diversidade assinalável de produtos, com  destaque para as frutas, legumes, cereais, peixes, azeite e vinho, entre outros.

 

A dieta mediterrânica é representada pela piramide, ao invês da roda dos alimentos.

 

Algumas curiosidades:


• A principal é que a pirâmide se refere ao consumo de alimentos ao longo de um mês enquanto que a Roda se refere à ingestão diária de alimentos (por isso tem a forma redonda, que sugere um prato de comida).
• Na dieta mediterrânea, ovos, carnes brancas, peixe e marisco só algumas vezes por semana e carnes vermelhas 2-3 vezes por mês.

• As nozes e outros frutos secos são utilizados na dieta mediterrânea diariamente e como substitutos proteicos da carne, pescado ou ovos.

• Os doces são permitidos uma ou outra vez por semana (fim-de-semana?)

• A nova Roda dos Alimentos centraliza a importância da água no dia-a-dia, o que não acontece na representação gráfica da dieta mediterrânea.

• O consumo diário de alimentos “farináceos” como batata, arroz, leguminosas, pão e outros derivados de cereais (grão, feijão, etc.); legumes, fruta e lacticínios com baixo teor de gordura .
• As gorduras como o azeite devem ser consumidas diariamente mas em pequeninas porções, uma vez que têm um valor calórico muito elevado e, em excesso, podem contribuir bastante para o aumento de peso.

 

publicado por comerviver às 19:25

A alimentação saudável e equlibrada é muito importante. Mais ainda durante a gravidez. Não ligue no entanto, a quem lhe diz que agora tem de «comer por dois». Mais importante que a quantidade é a qualidade da sua alimentação.

 

 

 

Se por um lado o excesso tem impactos sérios na saude da mãe e do feto (por exemplo está provado que uma dieta com muitas gorduras leva á obesidade no futuro bebe), ao padecer de doenças como  a má nutrição materna pode ser uma causa de deficiência no crescimento, resultando em bebês pequenos e de baixo peso. As conseqüências da má nutrição para o feto dependem do período, severidade e duração da restrição dietética. Adicional energia, proteínas, vitaminas e minerais são requeridos durante a gravidez para suportar a demanda metabólica da gravidez e do crescimento fetal.

publicado por comerviver às 18:48
publicado por comerviver às 18:28

Após anos de investimento em educação nutricional, o governo dos EUA resolveu mudar a estratégia. Foi abandonado o uso da piramide dos alimentos

 

 

 

e passou a ser utilizado um novo diagrama o my plate (meu prato) http://www.choosemyplate.gov/.

 

 

 

 

 

 A mudança de estratégia deve-se ao facto de que a obesidade continua a crescer todos os anos, infelizmente.

 

 Como o nome indica, o gráfico representa um prato divido em 4 partes, como forma de lembrar  graficamente sobre a importância do consumo de frutas, verduras, grãos e proteínas. Um copo de leite também faz parte do novo esquema. A nova campanha será a de levar a figura a todas as escolas e trabalhar com as crianças para que as mesmas passem a montar seus próprios pratos, lembrando do gráfico apresentado. 

publicado por comerviver às 13:15

Deixo aqui um excelente video, destinado á educação das crianças sobre alimentação.

 

 

 

 

O refrão fica no ouvido - Come a sopa vá lá, Come a sopa vá lá, faz-te bem e ajuda-te a crescer.. com o garfo não dá, tens de usar a colher!!!

 

publicado por comerviver às 10:10
21
Mar
12

O Brasil lançou uma campanha que não posso deixar de partilhar.

 

 

 

 

 

A campanha que visa educar o consumidor e alertar para 3 vertentes distintas, mas no então interligadas: a Fome, a Obesidade e o Desperdício.

 

 

 Consultem o link onde poderão encontrar muita informação: http://cfn.org.br/falanutricionista/

 

 Adorei o slogan que eles usam!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 
publicado por comerviver às 18:48

A fortificação dos alimentos é “A adição de um ou mais nutrientes essenciais aos alimentos, quer estejam usualmente ou não presentes no
alimento, com o proposito de prevenir ou corrigir as deficiencias  evidenciadas, de um ou mais nutrientes na população ou em grupos populacionais especificos.” - esta é a definição do Codex Alimentarius - http://www.who.int/nutrition/publications/guide_food_fortification_micronutrients.pdf.

 

Fortificação difere de enriquecimento, que é o processo de restaurar os nutrientes a um alimento removidos durante o refinamento ou a
produção ou armazenamento.

  
Para terem uma ideia, deixo-vos uma tabela com as diferenças entre a farinha integral (alta extracção) e farinha branca (baixa extracção), que permite ter uma ideia da perda elevada de nutrientes durante o processamento. Vejam que ao refinar a farinha  perdemos todas as vitaminas B1 e B6, Magnésio, Selênio, Zinco e Proteínas, presentes na casca e gérmen do trigo.
 
 
 
 
A fortificação dos alimentos de consumo massivo, visando garantir a ingestão diária recomendada de micro nutrientes, tem sido considerada a estratégia mais custo-efectiva e sustentável para a prevenção e controlo da deficiência de vários micro nutrientes.
  

Os resultados do Consenso de Copenhaga de 2008, um comité extraordinário composto por oito economistas de renome, apresentaram 10 soluções para melhorar o bem-estar a nível mundial. Dentre estas, a terceira mais eficiente e efectiva identificada foram a fortificação de alimentos de consumo massivo. http://www.copenhagenconsensus.com/Default.aspx?ID=1303

 
A fortificação não é um tema novo, desde a segunda guerra mundial que diversos países tem recorrido á fortificação de alimentos por forma a combater problemas de deficiência de micronutrientes.
 
Diversos paíse tem hoje programas de fortificação: farinha de trigo e de milho, óleos alimentares e arroz são alguns dos produtos fortificados.
 
Eu sou fã do programa de fortificação do Senegal, que tem excelentes materiais.
 
 
  
O Uganda tem também um programa de fortificação:
 
 
 
 
Um dos programas de fortificação, mais conhecido, é provavelmente o da iodização do sal.
 
 
 
 
 
 
 
publicado por comerviver às 14:24

 

 

A Deficiência de Vitamina A (vad) é a causa número um de cegueira na infância, mas também  compromete o sistema imunológico, o que, por sua vez, aumenta o risco de morte devido a doenças tais como a malária, sarampo e diarreia. 

 

A suplementação de vitamina A é considerada a intervenção mais custo-efetiva para salvar a visão e as vidas das crianças, o custo total de entregar a vitamina A é de apenas US $ 1,00 por criança por ano!

 

 

 

 

publicado por comerviver às 14:14

A Food Standard Agency actualizou recentemente a lista de produtos livres de corantes alimentares associados com hiperatividade possível em crianças pequenas.

 

http://www.food.gov.uk/news/newsarchive/2012/mar/colours

 

 

A lista inclui empresas que têm gamas de produtos que nunca contiveram as seis cores e, empresas que reformularam as suas gamas de produtos para remover as cores. As cores, identificadas por um estudo da Universidade de Southampton financiado pela Food Standards Agency, são:
 

amarelo-sol FCF (E110)
amarelo de quinoleína (E104)
carmosina (E122)
allura vermelho (E129)
tartrazina (E102)
ponceau 4R (E124)


 Os consumidores que são particularmente preocupados com a presença dos corantes deve continuar a verificar rótulos, especialmente no caso de produtos com um longo período de vida útil, onde a disponibilidade de produtos reformulados pode variar.

 

publicado por comerviver às 12:40

bom dia,

 

Há muito que estou afastada destas lides, culpo-me a mim pois deixo-me absorver pelo trabalho. Prometo agora nao deixar de postar regularmente.

 

Retorno com noticias sobre o programa/projecto em que sou coordenadora - fortificação alimentar em Moçambique.

 

No link abaixo podem encontrar uma das noticias sobre o lançamento do CONFAM e do Programa Nacional de Fortificação Alimentar.

 

http://noticias.sapo.mz/aim/artigo/411315032012160721.html

 

No próximo post vou explicar  o que é a fortificação e quais as suas vantagens.

 

publicado por comerviver às 12:34
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Adoreiii, mas fiquei um pouco perdido rsrsrs
HAHAH MUITO ENGRAÇADO !!
ahahah que bacana !!
Bem interressante
Muy bueno tu blog y estoy siguiendo su cargo por u...
me encanta el post!
Olá :)Este post está em destaque no novo espaço "C...
Olá :)Este post está em destaque no novo espaço "C...
blogs SAPO